Tribunal de Justiça suspende despejo do povo Gamela em Matinha e Viana

Tenack Serra Costa Júnior, que utiliza a área tradicional dos Gamela para retirar matéria-prima à cerâmica da qual é proprietário, entrou com o pedido de despejo. O juiz da Comarca Estadual de Matinha, Celso Serafim Júnior, em decisão liminar de 1º de setembro, ordenou que a reintegração de posse fosse realizada em 30 dias – sob pena de multa ao Governo do Estado. O juiz de Matinha justificou sua decisão questionando a identidade indígena dos Gamela, o direito de conquista dos colonizadores. Os Gamela recorreram, e apesar de decisão positiva seguem temerosos.

No início desta semana, os Gamela divulgaram uma nota pública (leia aqui) denunciando os planos de fazendeiros para matar lideranças do povo. Os indígenas gravaram as ameaças realizadas pelo fazendeiro José Manoel Penha, incluindo o relato dos planos de assassinatos. Conhecido como Castelo, Penha revelou uma reunião realizada entre fazendeiros, na cidade de Viana, para tratar das “invasões” realizadas pelos Gamela. Segundo Penha, na nota divulgada pelos indígenas, a solução seria matar “uns quatro cabeças”. Outros planos dão conta do assassinato de um padre da Igreja Católica, que apoia os Gamela.

“Em 15 de fevereiro, estas ameaças foram apresentadas ao Secretário Estadual de Segurança Pública e ao Superintendente de Polícia Civil do Interior, bem como foram entregues as gravações. Também foram registradas na Superintendência da Policia Federal, no Maranhão (SIC)”, diz trecho da nota dos Gamela. Nenhuma investigação foi realizada pelas autoridades públicas competentes. “No dia 21 de agosto, pistoleiros (…) invadiram a nossa aldeia, dispararam tiros de uma pistola .40 e ainda prometeram um banho de sangue”, segue a nota. A aldeia em questão é a Piraí, alvo da reintegração de posse indeferida pelo TJ/MA e com a incidência da propriedade de Tenack Serra Costa Júnior, também conhecido como Júnior da Cerâmica.

As lideranças ameaçadas e citadas pelos fazendeiros são Antonio de Marcírio, Jaleco, Inaldo, Jaldo, Kaw, Mandioca, Foboca, Zé Oscar, ‘Seu’ Duca e Carrinho. Na invasão de pistoleiros em 21 de agosto, três homens armados e trajando coletes à prova de bala invadiram a retomada realizada pelo povo Gamela. Conforme os indígenas, os homens chegaram numa caminhonete branca, se identificaram como policiais e chamaram pelas lideranças do povo. Procurando pelas lideranças, os indivíduos ameaçaram os indígenas e estavam em uma caminhonete cuja placa está registrada no nome da Ostensiva Segurança Privada LTDA., com sede em São José do Ribamar (MA) – conforme apuração na Secretaria Estadual de Segurança Pública. Fonte: CIMI.

Folha de SJB

A vitória da luta incessante e da coragem do vianense Cézar Bombeiro

Cézar Bombeiro Vereador 55 999

A eleição do agente penitenciário e presidente licenciado do Sindicato dos Servidores do Sistema Penitenciário do Maranhão, Cézar Castro Lopes, mais conhecido como Cézar Bombeiro foi fruto de muita luta, perseverança e determinação em concretizar as suas aspirações politicas de defender no parlamento municipal reivindicações populares.

A sua trajetória politica iniciada no PT, com que sempre foi solidário em todas as suas iniciativas populares, em resposta nunca o encontrou nas lutas em defesa dos direitos e da dignidade dos agentes e inspetores penitenciários e de todos os servidores do Sistema Penitenciários, o que motivou o seu pedido de afastamento do partido.

Por ter denunciado muitas mazelas, que poderiam ter evitado as barbáries e fugas e a corrupção com desvio de milhões de reais nas unidades prisionais, o governo passado e a administração do Sistema Penitenciário, o acusaram de liderar um movimento de fugas de presos e assassinatos dentro dos cárceres, mas depois prevaleceu a verdade. O então Secretário de Justiça e Administração Penitenciário foi identificado como a pessoa que colocou elementos terceirizados dentro das unidades prisionais para negociar saídas e fugas de presos e até para vender toneladas de ferro de celas destruídas por presos, sendo um deles preso e processado pela Policia Civil. Outro fato vergonhoso e de corrupção deslavada foi de um contrato feito com a empresa Gestor por um valor superior a R$ 1,5 milhão mensais para pagar mais de duzentas pessoas para não trabalhar indicadas por políticos e pessoas de outros poderes, com registros no Diário Oficial do Estado.

Mesmo com as tentativas de atingi-lo, com insinuações de que seria uma pessoa portadora de bens e recursos Cézar Bombeiro reside no bairro da Liberdade, em casa alugada e sempre pautou a sua vida com seriedade, respeito e dignidade e é detentor de valores, que sempre costuma citar os seus pais. Felizmente, quem me conhece, sabe quem eu sou e da minha solidariedade fraterna e que sempre procuro semear a paz.

Cézar Bombeiro, ao tomar conhecimento que foi eleito vereador, o seu primeiro sentimento foi de gratidão a todos que lhes deram aval para representa-los no parlamento municipal, mas deixou bem claro que o bairro da Liberdade, a sua comunidade foi decisiva, daí a sua grande gratidão a todos, e espera corresponder e ser cobrado para honrar os seus compromissos, mas lembra que os familiares, os colegas, os amigos e todas as pessoas que lhes deram apoio, o seu reconhecimento solidário. (Aldir Dantas – O Quarto Poder)

Viana – O povo escolheu Barrabás

Centenas de leitores/internautas solicitaram uma breve análise do pleito vianense.

compra-de-voto

O título acima é simbólico, não pelo teor religioso do conhecido personagem bíblico (que todos conhecem a história), mas para dar-se-á uma conotação ao modo como ocorreu o conturbado pleito vianense, vencido pelo tucano Magrado Barros.

Ok, não foi bem uma eleição. Foi um massacre! Ou um complô orquestrado em todas as esferas.

Centenas de crimes eleitorais praticados a luz do dia, aos olhos da Justiça que não pôde, ou não quis agir como era da sua obrigação.

Este editor flagrou dezenas de compras de votos e prática de boca de urna em várias sessões, na Sede e na Zona Rural, aos olhos do aparato policial, que nos pareceu bastante convivente com as práticas criminosas por parte do grupo de oposição que distribuía notas de cem reais como se estivesse distribuindo santinhos, tamanha a abundância do dinheiro sujo obtido por meio de agiotagem.

Que todos saibam que a Prefeitura de Viana está penhorada com vários agiotas, inclusive um muito conhecido de Santa Inês.

Portanto, não foi uma vitória do candidato tucano. Foi um protesto do povo vianense, da mesma forma como elegeram “Naná do Ovo” – candidato humilde, sem escolaridade, mas que recebeu “ajudazinha” de mais de 800 votos de um eleitorado sem compromisso e falta de crença nos candidatos a vereador da Cidade dos Lagos.

O vencedor é tão patético e folclórico que as suas caminhadas se assemelhavam ao desfile do bloco “AS CATRAIAS” – tamanhas as bizarrices e breguices apresentadas.

Aqui, palmas para esse eleitorado que gosta mesmo é de pão e circo: festas de reggae, forró e cachaça de graça. Fazer o quê!

De todo modo, está consumado e talvez não apareça nenhum advogado aloprado para, em nome dos derrotados, judicializar o resultados das urnas como aconteceu no pleito de 2012, quando Magrado não aceitou a derrota, e perseguiu e persegue o gestor Chico Gomes até os dias de hoje. O Blog Vianensidades deseja que se realize tudo (sabe-se lá o quê), do que foi prometido nos palanques.

RECADINHO DO CORAÇÃO

Para aquele troglodita, que se esgoelava igual um doido, em cima de um trio, que fez questão de passar em frente à residência dos pais deste editor, e insuflou uma turma de marginais, bêbados e drogados (eleitorado básico de Magrado), para apedrejar o local sagrado de um casal de idosos. Tenho minhas dúvidas se como o passado negro do sujeito forasteiro, que é acusado de pedofilia e espancamento de mulheres, fugiu pra Viana e se escondeu atrás da Bíblia – se ainda tem pais (idosos ou não), se merece tê-los ou não.

De todo modo, talvez por sua fidelidade canina a fazer tudo o que lhe é mandado, principalmente o serviço sujo, como prêmio de consolação, talvez ganhe um caco cheio de ração de quinta categoria, para lamber rastejando, até a próxima eleição. Isso ele merece, e como!