Em nota, ANJ condena agressões a jornalistas e ameaças à imprensa

Entidade criticou atos de violência em protestos contra afastamento de Dilma. Agressões foram feitas por manifestantes e policiais que atuavam nos atos.

Do G1, em Brasília

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou nota nesta quinta-feira (1º) na qual condena as agressões sofridas na véspera por jornalistas, em diferentes cidades do país, durante a cobertura jornalística do último dia do julgamento do processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Os profissionais da imprensa foram agredidos por manifestantes contrários ao afastamento definitivo de Dilma da Presidência da República e por policiais que atuaram em protestos organizados por simpatizantes da petista.

Leia a íntegra da nota divulgada pela ANJ:

ANJ protesta contra agressões a jornalistas e ameaças a empresas jornalísticas

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) condena as agressões e ameaças dirigidas ontem contra jornalistas e empresas jornalísticas em diferentes cidades do país, por parte de manifestantes contrários ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e por forças policiais que tratavam de reprimir atos de vandalismo.

Os atos praticados pelos manifestantes foram iniciativas intoleráveis de intimidação. Já as agressões e destruição de registros fotográficos dos acontecimentos por parte de policiais militares contra profissionais devidamente identificados caracterizam violência e arbitrariedade inaceitáveis.

Em ambos os casos, além de colocar em risco a integridade física de profissionais no exercício de sua atividade, tais ações são uma afronta ao direito da sociedade de ser livremente informada, por agredirem o jornalismo na sua essência.

Não se pode confundir o direito à manifestação com vandalismo, nem manutenção da ordem com violência e censura. A ANJ espera que as autoridades apurem os casos ocorridos ontem, lhes dê o devido tratamento legal e se empenhe de forma permanente em preservar o livre exercício do jornalismo.

Brasília, 1º de setembro de 2016.

Associação Nacional de Jornais

A falta de respeito de Magrado e Rilva com o prefeito de Viana

dupla-1O candidato a prefeito de Viana, Magrado Barros (PSDB), apoiado pelo ex-prefeito, ficha suja, Rilva Luis, parecem estar se divertido nos bastidores pelo fato de terem vendido a alma ao diabo para chegarem ao poder. Não chegaram nem vão chegar!

Os dois estão apelando aos expedientes mais covardes e deploráveis para se aclamarem como soluções para os milhares de problemas sociais de Viana, estes causados principalmente pelo incompetente e irresponsável Rilva Luis, o seu principal financiador de campanha, fora os agiotas.

Falando do caso, e para entendimento do leitor, o atual gestor Chico Gomes visitou hoje pela manhã, o principal centro distribuidor de alimentos o município, o mercadão da Barrado Sol, no bairro Citel. Um local abandonado por 8 anos pela gestão do PT e mais 8 anos pela gestão de Rilva Luis. Um local degradado, tomado por urubus e fendentina.

Em 2014, depois de intensas tentativas de um convênio com o governo do Estado para recuperar o local, Chico Gomes lançou mão de recursos próprios da Prefeitura, colocou embaixo a parte mais afetada do mercado, onde se revendiam pescados de forma imunda, sem higiene e insalubre. A inauguração foi marcada por festa e muita satisfação dos feirantes. Mas é preciso mais: mais recursos e cumprimento das promessas do Governo do Estado.

14199563_1082699841819315_7871473561071245008_n

14232981_1082699858485980_30024430116810943_n

Hoje (01/09) ao visitar o mercado e cumprimentar feirantes, o prefeito Chico Gomes foi recebido de forma hostil e desrespeitosa com vaias e gritos de insultos por uma turba de bêbados e drogados contratada pela oposição de Magrado e Rilva (principais eleitores deles). É o modo grotesco e covarde que eles encontraram para desqualificar o reconhecido trabalho do prefeito em Viana.

Chico Gomes, homem honrado com 75 anos de idade, pai, avô e homem público com ficha limpa, reagiu com serenidade, altivez e respeito. Coisas que faltam a muitos moleques da oposição.

Muitos feirantes, pessoas de bem e trabalhadoras, falaram em público que se sentiram constrangidos e envergonhados com a ópera bufa patrocinada, assim como tantas outras que acontecem diariamente em Viana, inclusive em programas de rádios de contrato.

14211943_1184713188217872_1082692646977577076_n

Magrado Barros apela de tudo para chegar ao poder: manipula pesquisas; age de forma sórdida, covarde e baixa, utilizando todos os meios sujos para desqualificar um mandato que, em três anos e meio, já realizou mais obras do que esse grupo (ou quadrilha), em 16 anos de desmando em Viana.

A disputa eleitoral em Viana está apenas começando. Se, ao invés de mostrarem propostas e continuarem nesse jogo de sarjeta, o grupo oposicionista de Magrado Barros e Rilva Luis têm tudo para experimentar o desprezo do eleitorado vianense. Mesmo que apelem para os serviços e forças ocultas dos terreiros de Codó, como afirmam os moradores vizinhos de certa dama vestida de azul.